Essas mulheres não existiram.

Para conhecê-las basta ir no imaginário, ou em qualquer café, dobrar qualquer esquina, entrar em qualquer sala, frequentar qualquer bar, ler em qualquer biblioteca, balançar em qualquer barco, esperar em qualquer aeroporto, basta estar em qualquer lugar.

Cada mulher é única, um tesouro peculiar, mas todas estão a bordo do mesmo barco: o barco da vida, que pode ser linda, romântica, ou triste, tediosa, mas é a vida.


quarta-feira, 24 de agosto de 2016

O modelo



Ela só queria que o mês passasse rápido. Suas férias estavam chegando, ela estava de saco cheio do trabalho, do stress, do vizinho com música alta, do cachorro arranhando no andar de cima, da mãe ligando depressiva, do namorado que a perseguia. Ela só precisava descansar num lugar paradisíaco.
Decidiu que não iria se incomodar até chegarem as férias, começou a relaxar e fazer apenas o necessário. No trabalho as tarefas eram cumpridas da maneiras mais fácil. Seu emprego de secretária não exigia grandes habilidades, bastava saber o que o chefe precisava e ser ágil. Depois de um tempo tudo fica no automático. Então ele mandou que ela fizesse algo novo, um convite para uma reunião com alguém importante. Ela já achou que não fosse tão importante assim.
E como estava decidida a fazer tudo do jeito mais rápido e tranquilo, foi direto para a internet. Pesquisou e pegou o primeiro modelo que apareceu. Não sabia se estava no formato certo, com os pronomes de tratamento corretos, mas usou mesmo assim, adaptou às informações do chefe e mandou para o convidado.
Dois dias depois foi chamada na sala do chefe a portas fechadas. Levou um susto quando o chefe disse que o convidado negou o convite para a reunião, já que um convite tão mal feito não poderia ter sido elaborado por uma empresa competente e de reputação ilibada. O chefe disse que conferiu uma cópia do convite e constatou que ela utilizara o "copia e cola" da internet e não se deu nem o trabalho de alterar o pronome de tratamento do feminino para masculino, ou o nome da empresa. Pior: usou o nome de uma empresa concorrente. Isso foi imperdoável.
Consequência: a demissão foi certa. Em vez de férias, agora ela tinha que procurar outro emprego. Não podia esbanjar e viajar. Fazer tudo do jeito mais fácil foi o jeito de ser demitida. Agora ela precisava se reinventar, pois não tinha modelo para vida de desempregada. O jeito era procurar na internet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário